Archive for Literatura

Lendo… [2]

[Nível de irrelevância: 3]
[A desculpa: Faz mais de um ano que leio esse livro, sempre aos pouquinhos e sem querer acabar… Não pode ser tão irrelevante assim]

É que por enquanto a metamorfose de mim em mim mesma não faz nenhum sentido. É uma metamorfose em que perco tudo o que eu tinha, e o que eu tinha era eu – só tenho o que sou. E agora o que sou? Sou: estar de pé diante de um susto. Sou: o que vi. Não entendo e tenho medo de entender, o material do mundo me assusta, com os seus planetas e baratas.
.
Mas que abismo entre a palavra e o que ela tentava, que abismo entre a palavra amor e o amor que não tem sequer sentido humano – porque – porque amor é a matéria viva. Amor é a matéria viva?
.
“Estou pedindo socorro”, gritei-me então de repente com a mudez dos que têm gradualmente a boca entulhada pelas areias movediças, “estou pedindo socorro”, pensei quieta e sentada.
.
Mas eu quero muito mais que isto: quero encontrar a redenção no hoje, no já, na realidade que está sendo, e não na promessa, quero encontrar a alegria neste instante
.
Só que não estava suportando ficar apenas sentada e sendo, e então queria fazer. Fazer seria transcender, transcender é uma saída.
.
Seria simplório pensar que o problema moral em relação aos outros consiste em agir como se deveria agir, e o problema moral consigo mesmo é conseguir sentir o que se deveria sentir?

[Clarice Lispector. A paixão segundo G.H.]

Anúncios

Comments (2) »

Lendo… [1]

[Nível de irrelevância: 1]
[A desculpa: a escolha é minha, mas as palavras são de outrém…]

“Perdemos boa parte da vida com sofrimentos desnecessários, resultados de nossos desajustes, precariedades e falta de sabedoria. São os sofrimentos que nascem de nossa acomodação, quando por força do hábito nos acostumamos
com o que temos de pior em nós mesmos.”
[Melo, Fábio de. Quando o sofrimento bater à sua porta. São Paulo: Editora Canção Nova, 2008]

 

Como saber se cada pássaro que cruza os caminhos do ar
não é um imenso mundo de prazer, vedado por nossos cinco sentidos?
[William Blake]

Leave a comment »

O perigo de uma única história

“O problema com estereotipos não é que eles sejam falsos, mas que sejam incompletos”

Parte 1 



Parte 2

Leave a comment »